1. (Source: melonbrey, via fi-xa-cao)

     

  2. "Se você já assistiu “(500) Dias Com Ela” sabe do que estou falando. Vinte e cinco segundos. Eu contei. Vinte e cinco segundos podem representar sua ruína. É o tempo que dura aquela cena no elevador, quando Tom está escutando “There Is a Light That Never Goes Out” e ela, graciosamente chega perto diz “Eu amo os Smiths!” e ainda canta um trechinho da canção feito um gatinho doente, dançando com olhos e pescoços e franjas e todos aqueles quilômetros de lábios róseos feito morango em foto publicitária. Vinte e cinco segundos, cara. E você foi surrupiado de si mesmo e está fodido por uns cinco anos."
    — Gabito Nunes.     (via versificar)

    (Source: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r, via surfandokarmass)

     

  3. "E apesar de rir e fingir que não me importo, eu me importo sim. Tem dias que gostaria de ser diferente, mas isso é impossível. Estou presa ao caráter com qual nasci, e mesmo assim tenho certeza de que não sou má pessoa. Faço o máximo para agradar a todos, mais do que eles suspeitariam num milhão de anos."
    — O Diário de Anne Frank. (via opostos)

    (Source: thisscars, via loveandcigarrillos)

     
  4. d-e-n-g-o:

    deixa eu brincar de ser feliz, deixa eu pintar o meu nariz

    (via que-reciproco-seja)

     
  5.  
  6.  
  7.  
  8.  
  9. (Source: vagueio, via ametistta)

     
  10. figililly:

    AUDREY HEPBURN “Breakfast At Tiffany’s” (1961)

    (via orbitaretroativa)

     
  11.  
  12. (Source: yiffingprince, via glatten)

     
  13. (via glatten)

     
  14. Don’t get me wrong. I’m not one of those wise ones who try to put Hollywood down. It just happens that I fit into the cadence and pace better here as far as living goes. New York is vital, above all fertile. - James Dean (photographed by Dennis Stock)

    (Source: jamesdeandaily, via jamesdeandaily)

     
  15.